terça-feira, novembro 04, 2008

Possessa... parte II

Ora bem... a noite de pouco sono e duro contacto com o travesseiro não apaziguou o meu estado de espírito. O tempo que levei até conseguir adormecer foi todo ele gasto a pensar na melhor maneira de mandar vir com as gajas da seguradora, reclamar da incompetência da outra seguradora e da falta de cuidado no tratamento dos clientes... ou seja, perdi minutos da minha vida e do meu descanso em coisas negativas... o que ainda me deixa mais frustrada!...

No início é tudo muito bonito!... "Faça aqui o seu seguro, que nós prometemos tudo e mais alguma coisa!..." ... "Não, faça antes aqui que é mais barato!" ... "Chegue aqui ó freguês!, que os nossos serviços são os melhores!..." ... "blá blá blá... blá blá blá"...


Quando a porca torce o rabo é que as coisas se complicam... não importa se pagamos 300 ou 600 euros por ano... importa é que eles não tenham muito trabalho, nem gastem o belo dinheirinho que nós lhes demos a ganhar!... Até as seguradoras que só tem que entrar em contacto com as responsáveis pelos seguros dos culpados pelo acidente... até para essas o trabalho se afigura complicado. Realmente, é dificil agarrar no telefone e marcar o serviço... mais dificil ainda é verificar se os interesses dos seus clientes estão a ser respeitados pela outra seguradora...



E pronto, o cliente chega ao stand todo pimpão, para ir buscar o carro de substituição e dão-lhe uma carroça!... Algo que nem de perto se assemelha ao carro que normalmente conduz... nem sequer tem o mesmo tipo de combustível!!!

Como são 6 da tarde e nenhuma seguradora atende telefones a partir das 6 da tarde, o cliente assina a porcaria do papel e vai-se embora para casa a ranger os dentes!... De caminho, ainda tem que parar numa bomba de gasolina para pôr um combustível mais caro... porque a porra do mata-velhos vinha já com a luz acesa!...
Chega a casa cheio de dores nas costas porque a porcaria dos bancos são mais desconfortáveis do que os assentos do comboio da CP Castanheira do Ribatejo-Alcântara Terra... e descarrega em todos os familiares e vizinhos que lhe aparecem à frente e que tem a ousadia de esboçar uma risadela ao caricato da situação!...


Vai daí no dia seguinte, o que é que apetece?!


Exactamente, descascar em todas as funcionárias da seguradora... mandá-las todas p'ró trabalho... literalmente p'ró trabalho! Porque se as madames tivessem estado com a cabeça no trabalho, nada disto se tinha passado, eu tinha recebido um carro em vez de uma imitação e estávamos todos contentes e felizes!...



1 comentário:

bernardo soares disse...

hehe agora sou eu que acho piada =)